Dialogos.



- Foi bom pra você?
- Foi... Maravilhoso... Perfeito, aliás, com você é sempre bom!
Ele se apóia no cotovelo esquerdo, intrigado com a resposta recebida. Então a fita como se tivesse uma pergunta para fazer, mas quando olha seu rosto; esquece tudo, pois ela sorria como ele nunca havia visto antes, e ela parecia tão feliz.
Ele questionou-se; por que estragar esse momento?. Voltou a deitar-se.
Ela pega a mão dele e pergunta:
- Queria perguntar alguma coisa, amor?
- Não... deixa pra lá.
- Agora pergunta, sabes como eu sou curiosa.
- Já que queres saber, lá vai: Por que você disse “com você sempre é!”? Você me trai?
Ela se senta irritada, e ele a segue no movimento repentino.
A voz dela se altera, enquanto ela “responde”.
- É claro que não, da onde você tirou essa idéia absurda? É só modo de falar.
- Pois é, mais uma pessoa viu você entrando em um carro preto com um homem.
- E quem foi essa pessoa?
- Você não conhece.
- Deve ser uma ex-namorada tua, não é?
- Claro que não, é uma menina do trabalho.
- Ah, então provavelmente ela gosta de você.
- Está ficando doida garota? Claro que não! Eu a conheço há mais de quatro anos.
- Ah, e eu? Você me conhece há menos de um, assim não acreditas em mim não é?!
Ela se levanta da cama, coloca a roupa, e então chorando ela deixa o quarto.
Ele levanta e vai atrás dela, consegue alcançá-la ao chegar à porta e diz:
- Espere, eu não duvido de você, eu só queria saber.
- Pois não parecia, agora me larga. Conversaremos amanhã.
Ela sai porta à fora, e ele fica parado abaixo da soleira, estampando um rosto confuso.

[...]
- Tchau mãe, volto mais tarde.
Ela sai apressada, já está atrasada, mas quando chega ao portão; o vê.
- O que você quer? - Ela pergunta com rispidez.
- Você disse que conversaríamos hoje.
- Não quis dizer de manhã cedo.
- Eu não dormi mais depois que você saiu, esperando o hoje chegar.
Ela o fita, e vê que seus olhos estão vermelhos, como se ele tivesse chorado há minutos atrás.
- Então o que você decidiu? – Ele pergunta, talvez sem desejo por sua resposta.
- Eu pensei bem, e acho melhor darmos um tempo, isso não está dando certo.
- Se é assim que você pensa. - Com isso ele pega sua mão direita e beija seu dedo anelar, onde geralmente ficava sua aliança... E vai embora.



Edição: Su.M

3 comentários:

Su M. disse...

Obrigada pelos créditos de edição. :]

Andresa Alvez disse...

QUE ISSO CARA? MEUDEUS!

Taatah Schell disse...

desculpa, esqueci. ;x

Postar um comentário